sábado, 17 de maio de 2014

A PRESENÇA AFRO, livro da escritora Ancila Dani Martins, lançado em 16/05/2014

Livro "A Presença Afro - A Marca dos afrodescendentes em Canoas e no Brasil", de autoria da escritora Ancila Dani Martins, lançado na noite de 16 de maio de 2014.
A escritora Ancila Dani Martins, eleita patrona da 30ª Feira do Livro de Canoas, acaba de lançar a importante obra de resgate dos quilombolas, "A Presença Afro - A Marca dos Afrodescendentes em Canoas e no Brasil", na noite de 16 de maio de 2014, com sessão de autógrafos no Qoppas Restaurante, ocasião de muitas presenças da área cultural como membros da Casa do Poeta de Canoas e da Associação Canoense de Escritores.

BIOGRAFIA

Natural de Flores da Cunha/RS e residente em Canoas a muitos anos, razão pela qual considera-se uma canoense, é licenciada em História, pela Unisinos, pós-graduada em Métodos e Técnicas de Ensino e especializada em História do Rio Grande do Sul pelo CELES. Em São Paulo concluiu o Curso de Pastoral em Nível Superior pela Província Marista. Foi, ainda, aluna na Escola Superior de Guerra com ciclos de Estudos de Política e Estratégia e iniciou sua carreira de magistério em Vassouras, no Rio de Janeiro.
Em Canoas lecionou no CELES - Centro Educacional La Salle, no Colégio Cristo Redentor, na E.E.E. Médio Carlos Chagas e diretora da E.E.E. Médio André Leão Puente.

Foi também idealizadora e co-organizadora, em 2006, do livro "Nas Asas da Poesia", I Coletânea e Poemas dos alunos da EJA - SMEC/Canoas, resultado do projeto "Centenário de Mário Quintana", ministrando oficinas. Nos 50 anos do CSSGAPA - Cassino dos Sub-Oficiais e Sargentes da Guarnição Aérea de Porto Alegre (apesar de pertencer a Canoas), conquistou o primeiro lugar na categoria "poesia".

PROJETOS CULTURAIS E LITERÁRIOS: Por ocasião da Feira do Livro de Canoas 2008, Ancila Dani Martins lançou sua primeira obra "Expressando Sentimentos", publicada via PIC - Programa de Incentivo à Cultura 2007 e patrocinada pela SMEC - Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Também ministrou oficina de poesia em parceria coma Casa do Poeta de Canoas no Fórum Social Mundial em 2010. Nos seus últimos 20 anos como professora ministrou aulas na E.E.E Escola Margot Terezinha Noal Giacomazzi.

Participa e ministra oficinas de leitura, literatura, poesia em escolas da região, publica seus textos e poemas em revistas e jornais de Canoas, realiza a "Hora do Conto e Produção de Textos", participa da revista "Entre Verbo", tem participado de diversas coletâneas em Canoas, Porto Alegre e Bento Gonçalves. Foi selecionada pelo projeto Microcrédito 2009 pelo seu projeto "Calendário Histórico Cultural de Canoas" e lançou a segunda edição do Calendário em 2012.

Além do acima exposto publicou o livro "Quadrantes da Alma" com cerca de 50 textos dividido em diferentes enfoques e temas baseados em citações bíblicas e lançado na Feira do Livro de Canoas 2012, viabilizado através do programa de incentivo cultural Microcrédito 2001. A nova proposta da autora Ancila Dani Martins trabalho será o livro "Cachoeira de Cristais".


PRÊMIOS COMO RECONHECIMENTO: Foi reconhecida com o Troféu Destaque em Educação em 2007, coordenado pela 27ª CRE - Coordenadoria Regional de Educação e o Troféu Paulo Freire 2011 como destaque na categoria Educação, promoção da 27ª CRE.

Além disso é membro da Casa do Poeta de Canoas e da ACE - Associação Canoense de Escritores
A escritora Ancila Dani Martins com a amiga Nidia Girardi por ocasião da sessão de autógrafos do liuvro "A Presença Afro - A Marcados afrodescendentes em Canoas e no Brasil", na noite de 16 de maio de 2014.

Contatos: la-stampa@ig.com.br

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Escritor gaúcho lança livro com processo inédito no Brasil

video

Diante do atual quadro de desapego e desinteresse pela leitura, em especial de parte dos adolescentes e adultos da primeira geração, o jornalista, radialista, acervista, historiador, poeta e escritor Francisco Antonio Pagot, que também é conhecido pelo pseudônimo de Xico Júnior, criou uma fórmula diferenciada e atrativa para fazer o lançamento do seu 7° livro, "JOVENS ANOS, BELOS DIAS".

O feito pioneiro em termos de Brasil, até onde se tem conhecimento, teve como marco a 10ª Feira do Livro de Niterói, na cidade de Canoas-RS quando, além de uma breve palestra explicativa, promoveu o lançamento do livro, com sessão de autógrafos, através da projeção de dois slideshows inéditos, devidamente sonorizados com sucessos musicais de época: um mostrando o livro na sua totalidade, página por página, enquanto que um segundo slide exibia fotos das personagens e da própria cidade. Fotos que foram resgatadas dos anos 60 e 70, depois de muitas e insistentes pesquisas e solicitações aos donos de arquivos familiares.

O trabalho de persistência foi compensador, pois resultou num livro de época com 232 página e inúmeras fotos, além de um conteúdo lúdico-didático sobre as múltiplas formas de passatempo e brincadeiras dos jovens adolescentes dos anos 60 e 70, portanto, essencialmente memorável, o que atraiu um excelente público à Praça Dona Mocinha e ao pavilhão onde se realizou o lançamento e a sessão de autógrafos, como comprova o vídeo acima.

E o que me deixa mais orgulhoso e satisfeito é que o lançamento aconteceu num sábado à tarde, numa Feira que teve pouquíssima divulgação, pois vem sendo organizada há 10 anos pela Associação dos Moradores do Bairro Niterói e apenas contou com o apoio (não confundir com financiamento) oficial, e o público presente superou todas as expectativas. Foi um verdadeiro prêmio que tive o privilégio de receber, junto com o reconhecimento da ABNIT, que é presidida pelo professor Valdir Dall´Agnol e conta com uma pequena, porém determinada equipe.

Me resta, com o ego estufado de alegria e satisfação pelo reconhecimento recebido, PARABENIZAR os denodados e determinados organizadores da Feira do Livro de Niterói. E, com certeza, na próxima edição lá estarei participando e prestigiando tão significativo evento cultural.
O excelente público que oportunizou ao escritor Francisco Antonio Pagot (Xico Júnior) tornar-se o pioneiro na forma de lançamento de livros no Brasil.
Contatos via e-mail: la-stampa@ig.conm. br
..

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Sai o 7° livro "Jovens Anos, Belos Dias" do jornalista Xico Júnior

Dentro de uma semana estará à disposição dos interessados, historiadores e leitores em geral o 7° livro do escritor FRANCISCO ANTONIO PAGOT (Xico Júnior), que no último dia 13 de agosto completou 46 anos como jornalista  e cronista social em Canoas.
A partir do próximo dia 21 de agosto de 2012 o sétimo livro do jornalistaFRANCISCO ANTONIO PAGOT (Xico Júnior) , JOVENS ANOS, BELOS DIAS, com 233 páginas, estará à disposição dos interessados via e-mail: la-stampa@ig.com.br ou pelo fone: (51) 3472-6666. Esta obra literária tem uma tiragem limitada: portanto, os interessados e os que têm curiosidade de saber como viviam os canoenses nas décadas de 50, 60 e 70 terão pouco tempo para se decidir.

Esta nova obra do jornalista canoense trata de um rebuscado dos anos 50, 60 e 70, e conta uma parte da história de Canoas e de como a gente canoense vivia naquelas décadas, tudo em ritmo de narrativa em estilo coloquial.

Será, para muitos que viveram aqueles dourados e diamantinos anos, um achado memorável, usando a expressão "lugar-comum", uma verdadeira viagem ao túnel do tempo, saudável, de reencontro com as lembranças do tempo mais rico, participativo e borbulhante da vida de Canoas e sua gente.

São fatos e atos nunca antes relatados ou registrados em livro por nenhum escritor canoense, por isso o sei ineditismo, a exclusividade das fotos e dos fatos.

Contatos - E-mail: la-stampa@ig.com.br

sábado, 18 de dezembro de 2010

O Escritor Xico Júnior e Sua Coleção de Livros e Slides (Publicados e em conclusão)

Capas de CD Slideshows Históricos sobre os mais diferentes temas: verdadeiros documentários históricos com os Centenários da dupla GRE-NAL, estes os mais completos que há no mercado com hinos nas mais diferentes versões, narração dos principais gols e imagens inéditas.
*** Passe o mouse sobre as imagens, assim você poderá ler as legendas.
CD Slideshows que compõem a coleção preservada através do ACERVO FOTOFONOHISTORIOGRÁFICO, de autoria do jornalista, cronista social, escritor e acervista XICO JÚNIOR, com cerca de 35.000 fotos e centenas de músicas de conjuntos e cantores só de Canoas.
Estes SLIDESSHOWS mostram, através de algumas fotos e capas dos livros, os seis livros já publicados pelo decano jornalista, radialista, acervista, historiador e escritor Xico Júnior, cujo nome de batismo é Francisco Antonio Pagot, há 44 anos como profissional do jornalismo e do radialismo; fundador e diretor/editor da Gazeta de La Stampa em circulação na cidade de Canoas há exatos 20 anos, e, ainda, criador, fundador e primeiro presidente da AVECOS - Associação de Veículos e Empresas de Comunicação Social de Canoas, a primeira entidade da classe dos comunicadores a ser oficialmente reconhecida.

Além dos seis livros já publicados e outros quatro concluídos e aguardando publicação, divessos slideshows, sendo que dois contando os centenário da dupla  GRE-NAL (com hinos oficiais e em diversas versões e mais os principais gols que consagraram os dois maiores clubes gaúchos; slidshow de "PAGOT - La Storia Della Famiglia" há 88 anos no Brasil e 80 no Rio Grande do Sul; outro sobre a história da imprensa canoense "Imprensa de Papel - 101 Anos de História", a contar desde 1909 quando Frederico Guilherme Ludwig lançou "O Canoeiro", jornal manuscrito (na época em Canoas não havia gráficas com linotipo) e um slideshow com os primeiros cronistas sociais na década de 60 "A Imprensa e os Colunistas", cujo estilo de jornalismo teve início em 1955 com Léo Medina Matins ou "Doryan Brisque" seu pseudônimo, e o livro com slideshow "No Tempo da Cuba-Libre", todo sonorizado somente com músicas gravadas por conjuntos e cantores de Canoas (natos ou adotivos),  onde consta praticamente toda a história de músicos, Orquestra de Câmara de Canoas, Coral de Canoas, Pequenos Cantores do La Salle, conjuntos musicais e cantores que gravaram discos, ou em vinil ou digital, cujo lançamento está previsto para 2011, e mais "XICO JÚNIOR - Retratos de Um Repórter", que retrata o período mais borbulhante, mais glamuroso e mais badalativo da vida social de Canoas, e "Jovens Anos, Belos Dias" que, mesmo sendo apenas histórias de adolescentes que moravam num quarteirão formado pelas ruas Frederico Guilherme Ludwig, Dr. Barcelos, Mathias Velho e Brasil, estampa os hábitos, os costumes e a forma de vida dos jovens canoenses de toda as vilas (hoje bairros) da cidade de cunho histórico e didático, entre outros trabalhos de conteúdo histórico e didático (que se originou da expressão grega "teckné didaktiké", que pode ser traduzido por arte e técnica de ensinar.

A solicitação de SLIDESHOWS, especialmente os da dupla GRE-NAL (contando a trajetória centenária dos dois maiores clubes do RS), assim como exemplares dos livros, podem ser feitos através do e-mail: la-stampa@ig.com.br
.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Outras Vidas lançado no Centro Histórico de Porto Alegre e a história da Igreja Matriz São Luiz Gonzaga





A escritora Leila da Silveira
A História da Igreja Matriz São Luiz Gonzaga
A escritora, formada pela Faculdade de Estudos Sociais do Unilasalle e pós-graduada em História Contenporânea Perspectivas No Final do Milênio e Ensino, funcionária da Unidade de Patrimônio, Arquivo Histórico e Museu de Canoas "Hugo Simões Lagranha", Leila da Silveira, lançou, em 2007, o livro "Igreja Matriz São Luiz Gonzaga - A construção da igreja e o desenvolvimento urbano de Canoas".

Esta obra, pioneira no gênero, é a mais completa sobre um dos principais monumentos arquitetônicos e históricos de Canoas, entre tantos que já foram desprezados pelas autoridades municipais e, assim, demolidos em prejuízo à rica história arquitetônica do Município.

Leila da Silveira foi buscar argumentos no início do surgimento de Canoas, desde os tempos das Sesmarias das Conchas, o povoamento do então lugarejo Canoas, tempo da "estação de veraneio" à construção da Estação Férrea, passando pela disputa da localização da primeira igreja, em 1897, entre os primos Olavo Pláscido Ferreira e Rafaela Eulália Barcelos Schell e seu filho Ismael Barcelos Schell, herdeiros do povoador de Canoas, Francisco Pinto Bandeira.

Assim, depois da aprovação de D. Cláudio José Gonçalves Ponce de Leão, arcebispo diocesano, que assinou a liberação da verba em 6 de maio de 1897, tendo como padroeiro, mesmo depois de uma divergência entre ser São  Roque ou São Luiz, São Luiz, santo da predileção da D. Maria Luiza, mãe. Assim, deixando de lado as divergências tanto quanto ao local da construção da capela quanto do nome do padroeiro, a capela fui erguida nos altos da Rua Santos Ferreira em área que mais tarde seria adquirida por Santini Longoni, pais do ex-vice-prefeito de Canoas, Jacob Longoni.

Com a comprovação do estado precário das duas torres da capela, constatado em 1918 e demolidas em meados de 1'920, segundo avaliação do engenheiro José Coelho Pereira e da própria Cúria Metropolitana. A construção de uma nova igreja partiu da reunião promovida em 18 de novembro de 1924, liderada pela Sra. Henriqueta Martins. O segundo tempo tem início em dezembro de 1926, siob a direção do construtor Francisco Hilgert, em terreno localizado em frente à Praça da Bandeira, hoje na Rua da Igreja, e em 15 de abril de 1931 é rezada a primeira missa na nova igreja. embora o prédiio não estivesse totalmente concluído.

Mais detalhes e pormenores entre as divergências, tanto da construção da primeira capela até o erguimento da atual Igreja Matriz São Luiz Gonzaga você encontro no livro "Igreja São Luiz Gonzaga - A construção da Igreja e o desenvolvimento urbano de Canoas".

=========== ***** =========== ***** =========== 


O novo livro do autor Vladimir Cunha Santos foi lançado no dia 2 de setembro de 2010, no auditório do Museu Memorial RS, na Praça da Alfândega, no Centro Histórico de Porto Alegre. O livro tem como título Outras Vidas e o lançamento teve show com a Banda Guff, Mharisa Só, Sully Maridaks, Beto Herrmann, Oscar Brauner e outros convidados, com coquetel, degustação de vinhos e apresentação do livro.

Outras Vidas é um livro que reúne uma seleção de contos do autor Vladimir Cunha Santos, escritos entre os anos 80 e 90 do século passado até 2010. Fala de outras vidas que o autor "inventou" para expressar uma visão de mundo nesta época de virada de milênio, onde os comportamentos e atitudes dos humanos são múltiplos.
Histórias de amores vividos e não vividos, histórias do cotidiano de vidas comuns com reflexões sociais e filosóficas. 

São outras vidas, de personagens construídas com observação do dia a dia. Contos que marcam a inserção do poeta Wlady no mundo da narrativa em prosa. O livro esteve na Bienal Internacional, em São Paulo, e no Itaú Cultural, na Avenida Paulista, onde foi lançado e apresentado ao mercado nacional. A seleção de novos contos de Vladimir Santos será lançada em Canoas e estará à disposição dos leitores nas livrarias da cidade.

Vladimir Santos é de uma nova safra de escritores gaúchos e tem vários livros publicados. Seus trabalhos literários encontram-se nas livrarias de Porto Alegre e outras cidades do Rio Grande do Sul com o selo da VCS Editora. (Texto de Nelsi I. Urnau).

Para ampliar a foto basta clicar sobre a mesma.

Contatos: la-stampa@ig.com.br
.

terça-feira, 11 de maio de 2010

.
"Da Itália aos Açores"
Na própria apresentação do autor Márcio Gazzolla, que nasceu no dia 07/03/1942, em Urussanga-SC, declara ele que "Há muito tempo vinha trabalhando minha mente, no sentido de demonstrar publicamente o meu amor, o meu carinho e a minha gratidão a alguém especial em minha vida. Escrevendo este livro para homenagear-te, foi o modo mais simples que encontrei, Maria do Horto, minha mulher e companheira, para demonstrar todo o meu afeto e respeito por ti".
Com essa declaração de amor, Márcio Gazzolla romanceou sua autobiografia, rebuscando, conforme sugere o próprio título do livro, desde as suas origens peninsulares, passando por sua "Itália Catarinense", que origina-se na Urussanga, em Santa Catarina, até o encontro com o seu amor nascida dos "Açores Gaúcho", ou seja na cidade de Santo Amaro do Sul.
E no seu "compromisso" eslarece com a seguinte citação: "Há um dito popular antigo que eu ouvia desde minha infância: 'Um homem para ser feliz tem que fazer um filho, plantar uma árvore e escrever um livro". E mais: "Passar por uma existência sem ser lembrado, creio não ser o desejo do ser humano, motivo pelo qual, ao crepúsculo de minha vida, aos sessenta e seis anos (66), enchi-me de coragem e prazer, a fim de cumprir com um dos itens que nos cabe realizar e, conequentemente, realizar-se".
Um trabalho que revela um belo e revelador sentimento e um sentido de resgate de tudo quanto compreende nossa trajetória, desde as raízes à formação da própria história. Memorável!
O lançamento do primeiro livro de Márcio Gazzolla aconteceu no mês de abril de 2010.

* Para ampliar as fotos basta um CLICK sobre as mesmas.
*** Contatos via e-mail: la-stampa@ig.com.br
.

sábado, 8 de maio de 2010

Autores canoenses na 26ª Feira do Livro de Canoas


Livros da professora Marina Lima Leal                         

1) Construindo a Escola Democrática e Popular que relata um pouco da experiência vivenciada quando a autora à frente da 27ª Coordenadoria Regional de Educação - CRE, e publicado em 2004.
2) 20º Núcleo do CPERS/Sindicato, publicado em 2005, que fala da história do 20º Núcleo, o qual abrange os municípios de Canoas, Esteio, Nova Santa Rita, Sapucaia do Sul e Triunfo e também das conquistas da autorra ao longo de 25 anos.
3) Gestão Democrática da Escola Pública, obra que resgata a história da luta para conquistar a Eleição de Diretores e a criação dos Conselhos Escolares. Este trabalho foi publicado em 2008. 
4) - Participação com 3 crônicas na Coletânea "Contos e Crônicas", publicado pela Associação Canoense de Escritores, em 2009.

Biografia:

Marina Lima Leal é natural de Montenegro-RS, onde concluiu o Curso Normal e iniciou sua carreira como professora em uma Escola Rural Multisseriada; também lecionou em curso noturno de educação para jovens e adultos, o antigo supletivo, séries iniciais.
Na sua cidade natal iniciou sua militância no Grêmio Estudantil do Colégio São José e na União Montene grina de Estudantes (UMES), sendo vice-presi dente na gestão 1962 e 1963; participou também da Juventude Estudantil  Católica (JEC), da qual foi dirigente. Bolsista na cidade de Santa Fé, na República Argentina,  participou naquele país, de diversos cursos e seminários na área da Educação e da Saúde.
Em 1967, mudou-se para Canoas, mas já lecionava aqui, desde 1965, quando iniciou sua carreira como professora estadual. Adotou a cidade como sua e aqui reside  até hoje.
Formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em Ciências Sociais e  pós-graduada em Ecologia Humana pela UNISINOS; participou, e vem participando, de inúmeros Congressos, Seminários e Cursos, especialmente na área da Educação.
É socióloga e professora, tendo iniciado sua carreira no Magistério Público Estadual em 1965 na Escola Estadual Fátima, em Canoas, e trabalhado, ainda, nas Escolas: Protásio Diogo de Jesus, Germano Witrock, André Leão Puente e Colégio Marechal Rondon, lecionado desde os anos iniciais até o Ensino Médio. Atuou também no Ensino Particular durante 17 anos, quando foi professora no Colégio Maria Auxiliadora, onde lecionou no Ensino Fundamental e no Curso Normal. Foi Secretária Municipal de Educação de Canoas nos anos de 1986 e 1987 e Coordenadora Regional de Educação da 27a Coordenadoria Regional de Educação (CRE) durante o período de 1999 a 2002.
Tem tido destacada atuação na sua Entidade de Classe, o CPERS/Sindicato, participando de diversas diretorias e exercido a função de diretora do 20o Núcleo na gestão 1993/1996;  representante de base da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE); membro do Conselho Geral do CPERS/SIND e, atualmente, representa a Entidade no Conselho Deliberativo do IPE e  no Conselho Municipal de Educação.
Após a aposentadoria começou a escrever com o objetivo de resgatar experiências e lutas de sua categoria, das quais participou. É autora de diversos artigos e crônicas sobre temas relacionados à Educação, à Questão Ambiental, à Luta das Mulheres e do Magistério Estadual, publicados na imprensa local. Autora dei três livros já editados: “Construindo a Escola Democrática e Popular”, “20º Núcleo do CPERS/Sindicato - 25 anos de luta” e “A Gestão Democrática da Escola Pública” publicado em 2008.


A professora e escritora Marina Lima Leal estará expondo seus livros na 26ª Feira do Livro de Canoas, que acontece no período de 05 a 20 de junho, tendo como locais o Calçadão de Canoas e a Praça da Bandeira (ou Praça da Igreja).


Livros da escritora Neida Rocha
ARTIGO DEFINIDO
A Humanidade está carente de referencial para seus valores morais e busca, de diversas formas, soluções que a ajude a seguir em frente.
O livro "Artigo Definido" apresenta um conjunto de textos que poderão servir de subsídios aos professores de diversas áreas (Ensino Religioso, Língua Portuguesa e Literatura) e até mesmo ao debate nas aulas de Educação Física, bem como ao público leitor que procura alhures as respostas para seus questionamentos.
DANILO, SU MOCHILA Y SUS AMIGOS
Versão em Espanhol/Português, o colorido do livro "Danilo, sua Mochila e seus Amigos" que narra a história de um menino de 11 anos que ao dirigir-se à escola, cai e vive uma aventura com o material escolar, dentro da própria mochila.

Lançamentos do escritor Décio Dalke 

Décio Dalke, natural de Porto Alegre-RS, nascido no dia 26 de março de 1940, formado em Comunicação Social pela PUC-RS, pós-graduado em Administração e Planejamento para Docentes pela ULBRA - RS (Universidade Luterana do Brasil) e Diácono pela Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB). Jornalista, publicitário, escritor, poeta. Vice-presidente da ACE - Associação Canoense de Escritores e sócio da AGE - Associação Gaúcha de Escritores, ACCS - Associação Canoense de Comunicação Social e da ARI - Associação Riogran-dense de Imprensa. Jornalista, publicitário, escritor e poeta, é o editor do Guia Mapa da Cidade para os municípios de Canoas, Nova Santa Rita, Gravataí, Cachoeirinha, Porto Alegre, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo.


Autor de inúmeros artigos religiosos publicados em órgãos da imprensa porto-alegrense e canoense, conquistou o 1º lugar no Concurso Literário Galdino Moreira, promovido pela Academia Evangélica de Letras do Brasil e Menção Honrosa no Concurso Cyro Martins, ambos com o romance O Homem Que Não Se Curvou. Foi, também, o primeiro colocado no Concurso de Poesia promovido pela Prefeitura Municipal de Canoas, em 1968.


Bibliografia: Décio Dalke, em sua carreira de escritor, já publicou nove livros: "O Homem Que Não Se Curvou", "O Homem Sem Medo", "À Sombra do Paraíso", "Procura-se um Cadáver", "Amarga Lembrança", "A Parábola do Absurdo", "Lutero Aponta Jesus", "Porcalina - A Dama do Chiqueiro", "Frangoleto - O Cantor dos Galináceos", em preparação a obra "Porcalina - A Dama do Chiqueiro Faz Piquenique".


Ivonete Pereira na 26ª Feira do Livro
Ivonete Chiden Pereira nasceu em Viação-RS, no dia 21 de julho de 1950 e a partir de 1976 adotou Canoas como sua segunda cidade. Aqui formou-se professora licenciada em Estudos Sociais pelo Centro Educacional La Salle de Ensino Superior, atual Unilassale.
Além das suas pesquisas, participa de cursos, seminários, foruns, exposições, palestras, simpósios, oficinas relacionados com cultura e educação, e constam do seu currículum profissional: Curso de Extensão em História, Cultura e Política do Rio Grande do Sul; Seminário Brasil e América Latina Contemporânea; Seminário Internacional de Reestruturação Curricular; Seminário do Patrimônio Cultural e Ambiental de Canoas; I Forum Estadual de Bibliotecas Escolares; Simpósio América Latina; I Forum Mundial de Educação realizado em 2001 e III Forum Mundial de Educação em 2004. Participou do Círculo de Pesquisadores de História e dirigiu a oficina pedagógica de Estudos Sociais no Centro de Estudos e Pesquisas da SMEC, em 1998.


É membro do CPERS desde 1975; foi representante dos Aposentados no 20º Núcleo, fez parte do Conselho Curador da extinta Fundação Cultural de Canoas, atual Associação Cultural de Canoas; faz parte da ACE - Associação Canoenses de Escritores; da ABIP - Associação Amigos da Biblioteca Pública, é uma das ativistas do Projeto Arroio Araçá e dedica-se à pesquisa histórica do Município direcionada ao ensino fundamental.


Bibliografia:
"Conhecendo Canoas" - Didático - 1ª ed. 1995
"Conhecendo Canoas da Estância à Urbanização" - 7ª edição 2009.
"Agenda 2002" - Biblioteca Pública João Palma da Silva.
"I Coletânea de Textos do Clube da Leitura" - Canoas 2007.
"II Coletânea do Clube de Leitura" - Canoas 2008.
"Contos e Crônicas" - Publicação da ACE - Associação Canoense de Escritores - 1ª ed. 2009.
"História de Nossos Prefeitos" - Série Documentos Vol. 8 - Participação na pesquisa sobre a vida do prefeito Hugo Simões Lagranha - 2009.


Sessão de Autógrafos, na 26ª Feira do Livro de Canoas, do seu livro "Conhecendo Canoas, da Estância à Urbanização": Dia 8 de junho, às 16 horas e Palestra no dia 11 de junho, às 15 horas, no Espaço Joaquim Nabuco, no Calçadão. 


*** Para ampliar as fotos basta clicar sobre as mesmas.
*** Contatos via e-mail: la-stampa@ig.com.br
.